Fechar
desabamento na marginal

Datena se desespera ao vivo enquanto metrô desaba

O apresentador noticiou o desabamento ao vivo

Vitor CaiqueRepórter do EM OFF

Na manhã desta terça-feira (01), aconteceu o desabamento da obra do metrô da linha 6-Laranja, na Marginal Tietê. Uma cratera enorme se abriu na via após o asfalto ter cedido ao lado da obra, localizada na Zona Norte de São Paulo. Mais tarde, a situação piorou, durante a transmissão ao vivo do Brasil Urgente, programa apresentado pelo jornalista José Luiz Datena, na Rede Bandeirantes, outra parte do asfalto caiu, abrindo ainda mais o buraco.

O jornalista noticiava algumas informações sobre o acidente que havia começado pela manhã com parte da pista da marginal cedendo, com imagens ao vivo do local, Datena narrou mais um pedaço da pista indo abaixo. Ao presenciar a cena do asfalto caindo, o jornalista se desesperou com a situação e pediu urgentemente para as autoridades responsáveis pelo trânsito do local e pelas obras agissem imediatamente.

O primeiro desmoronamento iniciou por volta das 9h, antes da Ponte do Piqueri, sentido Ayrton Senna, e ao lado de um poço cavado construído entre as futuras estações do metrô. Conforme o dia foi passando, o buraco foi aumentando de tamanho, com a última parte caindo no ao vivo do jornal de Datena ao fim da tarde.

Posicionamento das autoridades

Segundo Paulo José Galli, Secretário dos Transportes Metropolitanos, a causa do acidente foi devido ao vazamento de uma galeria de esgoto, provavelmente o solo não suportou o peso da galeria que passava 3 metros acima da máquina conhecida como “tatuzão”, e acabou se rompendo. O Secretário comentou que o “tatuzão” não atingiu a tubulação. Porém, a causa do vazamento ainda é desconhecida.

Continua após a publicidade

“Houve o rompimento da galeria [de esgoto] que passa no sentido transversal ao túnel e houve o início de vazamento às 8h21. O solo não aguentou, a tuneladora passava a 3 metros dessa galeria, portanto, não houve um impacto da tuneladora com a galeria”, afirmou Galli.

Segundo as primeiras informações dada pelos bombeiros, o vazamento teria acontecido por conta da “tuneladora”, porém, a informação foi desmentida e descartada por Paulo que afirmou que a maquina não foi o motivo do vazamento. “Mas de alguma maneira houve o rompimento e esse problema tem que ser investigado”.

“Estamos providenciando uma auditoria para identificar exatamente o que ocorreu e os responsáveis para que a gente adote as medidas cabíveis”, disse o Secretário que ainda afirmou que o objetivo é reabrir a Marginal Tietê em breve. “Essa galeria precisa ser reconstruída e a marginal precisa retomar. Toda a equipe da engenharia da Sabesp já está aqui. Já parou de chegar esgoto [na galeria], e está estável”.

A cratera segue instável, continua prejudicando a região e principalmente o andamento da Marginal Tietê, uma das principais vias de São Paulo.