Fechar
Suspeito é investigado

Deputado é preso por sequestro e tortura de jornalista da Record TV

O suspeito e é investigado como mandante do sequestro e espancamento do jornalista Romano dos Anjos

Nayara VieiraRepórter do EM OFF

O Deputado estadual Jalser Renier foi preso nesta sexta-feira (01) em Boa Vista, Roraima. Ele é o principal suspeito e é investigado como mandante do sequestro e espancamento do jornalista Romano dos Anjos, que aconteceu em outubro do ano passado.

Conforme foi exibido pelo Jornal da Record, em torno de 70 policiais civis e militares participaram da operação para a prisão preventiva do Deputado estadual. Na casa do político foram apreendidos vários documentos pela polícia.

Na época que aconteceu o crime, Romano foi encontrado com inúmeros ferimentos pelo corpo e um braço quebrado. Ele fazia denúncias de pessoas poderosas no estado. De acordo com a emissora, seis policiais e um servidor público foram presos no mês de agosto, acusados de participarem do crime, sendo que a maioria trabalhava para Jaicer.

O jornalista e apresentador da TV Imperial, afiliada da TV Record em Roraima, se pronunciou em um vídeo no Instagram na noite desta sexta-feira (01). Romano relembrou os momentos difíceis que passou e que precisou se tratar depois as agressões. 

Continua após a publicidade

“Há um ano eu fui retirado do estúdio do Mete Broca. Não trabalhei esse tempo todo, fiquei me tratando. Eu e minha esposa sofremos e sofremos até hoje com tudo isso que aconteceu. Mas hoje tiramos um peso grande das costas. O possível mandante desse atentado foi preso juntamente com dois coronéis e um sargento da polícia militar”, começou ele.

Agora a gente passa aqui para agradecer a todos vocês que se empenham nisso tudo, ministério público, Justiça, agradecer a polícia civil.  Eu quero aproveitar esse espaço aqui pra fazer uma cobrança juntamente com um pedido para Assembleia Legislativa que nas próximas horas deve votar pela manutenção ou não do Jalser”, prosseguiu.

O jornalista fez um apelo pela manutenção da prisão do deputado. “Eu quero dizer para os deputados que  vocês foram eleitos pelo povo e para representar o povo. Não foram eleitos por parceiro e nem devem representar bandidos ou outros parceiros não. Façam aquilo que o povo pede. Fica aqui o meu pedido”, completou.

“Agora é preciso que os deputados estaduais façam sua parte e mostrem pra sociedade, que foi quem os elegeu, a que vieram! Lugar de bandido é na cadeia e não na Casa do Povo. Quem se alia com bandido, bandido é! Esperamos uma resposta!”, escreveu o jornalista.