Fechar
Nickelodeon

Eliana deixa o SBT para apresentar programa na TV paga

Apresentadora comandou categoria do "Meus Prêmios Nick"

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

Eliana foi liberada pelo SBT e marcou presença no “Meus Prêmios Nick”, premiação teen exibida anualmente pelo Nickelodeon, nesta terça-feira (28). A apresentadora comandou parte do evento e foi a responsável por anunciar o prêmio na categoria Criador Genial, vencida por Juliette Freire, campeã do BBB21.

Na noite de troféus (zeppy), Eliana concorreu na categoria Programa de TV Brasileiro Favorito, mas perdeu para o colega de emissora, Celso Portiolli. O comunicador também levou o título de Artista de TV Masculino. Assim, conquistando todos os prêmios em que estava indicado na premiação da TV ´Paga.

“É com maior prazer”, declarou Eliana, ao comandar a revelação do vencedor no palco do “Meus Prêmios Nick”. Juliette não marcou presença nos estúdios da emissora, mas gravou um recado para celebrar a conquista com os fãs. “Eu estou muito feliz e devo tudo isso a vocês, muito obrigada. Um cheiro”.

Nos últimos meses, Eliana iniciou uma maratona de divulgação da votação do “Meus Prêmios Nick” na TV e nas redes sociais. Em seu programa exibido aos domingos pelo SBT, a loira disponibilizou o endereço eletrônico, além de um QR Code que direcionava o público para a votação oficial da premiação.

Continua após a publicidade

Celso Portiolli, colega da emissora, por diversas vezes chegou a implorar o público para que votasse no “Domingo Legal” na premiação. Em alguns ocasiões, por exemplo, ele chegou a declarar nunca ter ganhado um prêmio como o zeppy, troféu que é a marca da premiação anual de formato internacional.

Em agosto, Eliana celebrou 30 anos como apresentadora, sendo 12 deles no comando de um programa dominical que leva o seu nome, no SBT. A atração que conta com 3 horas de duração é vice-líder de audiência. A mãe de Arthur e Manuela é a única mulher que apresenta um programa de auditório nos domingos da TV brasileira.

“Vivemos em um país machista, patriarcal, em que a valorização da carreira feminina ainda está aquém da masculina. Fico lisonjeada por realizar o ofício que escolhi. Tenho orgulho de minhas conquistas pois só eu sei dos meus tombos e tropeços e de como conduzi todas essas fases com equilíbrio e dignidade”, disse ela, entrevista ao colunista Zean Bravo, do jornal Extra.

Tags Relacionadas: