Fechar
Soltou o Verbo!

Evaristo Costa diz que CNN pediu para que ele mentisse sobre demissão

Jornalista contou que foi induzido pela emissora a mentir para a imprensa com relação ao motivo de sua saída

Bruno PintoRepórter do EM OFF

A demissão de Evaristo Costa foi recebida com surpresa não apenas por aqueles que o acompanham, mas também pelo próprio jornalista. O ex-contratado da Globo não faz questão nenhuma de esconder a mágoa com a emissora. Além de já ter colocado a boca no trombone por meio de suas redes sociais, o apresentador concedeu uma entrevista e revelou detalhes do episódio.

Ainda muito ressentido com toda a situação, o ex-funcionário da CNN fez revelações bombásticas que cerca o seu desligamento da empresa. Em entrevista ao portal Notícias da TV, o jornalista contou que não acreditou quando soube da informação e disse ainda que acredita que possa ter sido vítima de uma sabotagem.

“Eles foram extremamente deselegantes e despreparados durante o distrato. Fui surpreendido por quem não esperava ser surpreendido, considero uma sabotagem. Mas quem levou o tiro no pé pela atitude foram eles mesmos. Eu optei pela verdade”, contou o jornalista.

Evaristo reafirmou a que só soube que não fazia mais parte do quadro de funcionários da CNN quando estava assistindo ao canal. O jornalista falou que entrou em contato para entender melhor o que estava acontecendo, quando foi surpreendido com a informação de que seu programa não iria mais compor a programação da emissora:

Continua após a publicidade

“Eu fui dispensado da forma que noticiei: descobri sozinho, assistindo à chamada da nova programação e não me vi –nem meu programa, nem eu– lá. Um dia antes de voltar das férias, liguei para a direção e disseram que meu programa iria sair da grade e que a CNN não tinha mais interesse nos meus serviços”.

O ex-apresentador do “Jornal Hoje” contou que pediram para ele mentir com relação ao real motivo de sua saída, mas ele não aceitou: “Durante as tentativas de negociação, eles insistiram várias vezes para que eu anunciasse de forma conjunta à imprensa que foi um distrato de comum acordo e, claro, não aceitei a mentira. Chegaram até a me enviar o texto que queriam divulgar”.

Evaristo não poupou palavras para descrever sua revolta com a forma que foi dispensado: “Faltavam 15 meses [de contrato] ainda quando fui surpreendido. Não foi em comum acordo. A ação da CNN foi totalmente despreparada. Na hora de me contratar, aceitaram todas as minhas exigências com carpete vermelho. Na hora de me dispensar, me chutaram pela porta dos fundos, sem qualquer consideração”.

O jornalista considera um desprazer ter trabalhado na CNN e volta falar da mágoa com a forma com que foi tratado: “Não fui eu que pedi pra trabalhar lá, eles vieram insistir diversas vezes aqui em Cambridge, onde vivo. Mas eu honrei com tudo que prometi. Foi um prazer e um grande desprazer trabalhar lá. Não questiono a demissão, questiono a forma que se deu”.

O jornalista agradeceu pelas mensagens carinhosas que recebeu: “Agradeço o carinho de milhares de pessoas que se identificaram com o que passei. Quem é demitido se sente mal, e me expor com a verdade mostrou às pessoas que ninguém está livre de ser demitido”. Evaristo Costa concluiu falando sobre o seu futuro: “Estou feliz e grato como garoto-propaganda de várias marcas que confiam na minha imagem e sigo na Inglaterra com meu sabático que foi interrompido pela CNN”.

Tem alguma foto? print? vídeo? ou áudio de alguma fofoca? envie um e-mail para contato@portalemoff.com.br sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo