Fechar
BASTIDORES

Ex-repórter da CNN Brasil abre o jogo sobre saída conturbada da emissora

Xico Prado revelou nas redes sociais que sofreu retaliações na emissora ao se negar a fazer uma entrada ao vivo

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

A CNN Brasil surpreendeu ao anunciar, em novembro, a saída do repórter Xico Prado da emissora. O jornalista, que cobria os assuntos relacionados a política em Brasília, deixou o canal noticioso após viver uma situação embaraçosa. Ele não gostou de ser escalado para fazer uma entrada ao vivo sobre um assunto que ele não havia apurado, e por isso, foi desligado da empresa.

Nesta terça-feira (14), o jornalista usou as redes sociais para dar mais detalhes sobre sua demissão. Em suas publicações, Xico Prado disse que não se sentiu à vontade para fazer o que foi solicitado e que informou isso aos seus superiores. O profissional salientou que, mesmo assim, sofreu retaliações da chefia e foi totalmente desligado da emissora de notícias no dia 18 de outubro.

Deixei a CNN Brasil há dois meses. Fui demitido após um episódio em que não me senti à vontade para fazer um link (entrada ao vivo) sobre uma informação que não era minha, uma apuração jornalística que não tinha sido feita por mim“, começou Xico. “Desde então, há versões que causam incômodo, que têm relação direta com o que fiz na vida em quase 25 anos de jornalismo“.

Recebi e ainda recebo mensagens de amigos, e até de gente com quem não convivo, sobre o que essas pessoas ouviram. Aqui eu deixo a história verdadeira“, desabafou o jornalista, dando prosseguimento à história. “Quando disse que não me sentia à vontade para fazer o tal link, num plantão de sábado (16 de outubro), recebi o consentimento de dois chefes“.

Continua após a publicidade

Tenho tudo por escrito em trocas de mensagens com os dois, que naquele momento aceitaram o meu argumento. Apesar disso, no mesmo plantão fui tirado do ar no jornal da noite, em que falaria sobre outro assunto. Uma retaliação. Isso nunca tinha acontecido em quase dois anos desde a estreia da CNN“, argumentou o ex-repórter da CNN Brasil.

Xico Prado salientou que dois dias depois, em 18 de outubro, foi chamado por André Ramos, diretor da emissora em Brasília. “Depois de alguns rodeios, e sem que ele fosse capaz de dizer textualmente o que pretendia, acabei perguntando se estava sendo demitido. Ele confirmou que essa era a decisão. Confirmou balançando a cabeça“, ressaltou.

O mesmo diretor disse que havia ‘resistências’ com relação ao meu nome, sem jamais ter explicado o que isso significava“, disse Xico Prado, informando que sua relação com colegas e demais profissionais da CNN Brasil sempre foi de boa a excelente. “Não há um único episódio que sirva para que o contrário seja espalhado por aí“.

Antes de deixar a emissora, Xico Prado recebeu uma proposta para se mudar para São Paulo, mas negou. “Depois de me ouvir, a direção da CNN (chefe do chefe de Brasília) quis reverter minha demissão, que considerou ‘uma decisão extremada’. Recebi a oferta de uma vaga em São Paulo, uma transferência. Agradeci, mas decidi seguir em Brasília, pra onde me mudei há dois anos“.

Esse é o resumo honesto do que aconteceu, diferente das versões contadas depois. O melhor capital que tenho na profissão é o meu nome. Levei mais de duas décadas pra chegar até aqui. Quem realmente me conhece, sabe quem eu sou. A vida vai seguir, ela sempre segue“, finalizou o profissional, que além da CNN Brasil, já trabalhou também na CBN, O Globo, Bandeirantes e Jovem Pan. O EM OFF procurou a CNN Brasil, mas ela não se pronunciou até o fechamento dessa reportagem.

Demissão polêmica

Em setembro, a CNN Brasil também desligou o jornalista Evaristo Costa. Na ocasião, ela afirmou que a decisão de demitir o comunicador foi “estratégica”, no entanto, o ex-global disse que sequer foi informado de sua demissão. “Ao voltar das férias, assistindo a nova chamada de programação da emissora notei a falta do meu programa. Liguei pra saber o motivo e fui informado que ele havia sido retirado da grade“.

Em nota, a CNN Brasil se pronunciou sobre a demissão do jornalista. “Por decisão estratégica e de programação, o CNN Séries Originais encerra sua temporada. Em virtude dessas mudanças, o contrato com o apresentador Evaristo Costa será encerrado. O jornalista contribuiu, até aqui, com seu talento, profissionalismo e carisma para a construção do sucesso da CNN Brasil”.

Evaristo Costa, porém, não ficou nada satisfeito com a maneira com que foi dispensado da emissora. O ex-âncora do Jornal Hoje resolveu entrar com um processo contra a CNN, acusando a empresa de desrespeito profissional e danos morais e materiais. No documento, ele pede uma indenização de R$ 300 mil e diz que o correto seria que ele fosse o primeiro a ser informado sobre a decisão da dispensa, e não a mídia.