Fechar
"A HISTÓRIA SE REPETE"

Globo volta a escalar jornalistas brancos para falar de racismo e é detonada na web

A GloboNews foi alvo de críticas após escalar apenas jornalistas brancos para falar sobre questões raciais

Jean TellesRepórter do EM OFF

A Rede Globo foi mais uma vez criticada nas redes sociais recentemente após ter escalado para a edição do programa jornalístico “GloboNews Em Pauta”, da última segunda-feira (11), quatro jornalistas brancos para comentar uma notícia relacionada a questões raciais. A atração do canal de notícias da Globo repercutia o caso de um homem negro paraplégico, que foi retirado com violência de seu carro por policiais nos Estados Unidos.

Repercutiam a informação os jornalistas Guga Chacra diretamente dos Estados Unidos, Ana Flor e Gerson Camarotti, de Brasília, e Demetrio Magnoli, que falava de São Paulo. O último comentarista citado, inclusive, foi detonado por muitos internautas nas redes sociais que relembraram uma polêmica na qual foi envolvido há alguns anos atrás.

Telespectadores que assistiam ao programa jornalístico compartilharam uma gravação de um vídeo durante uma palestra do lançamento de seu livro que falava sobre pensamento racial na UNB, em Brasília. O comentarista político da Globo entrou em uma discussão com ativistas negros que questionavam questões discutidas no livro, dentre elas o das cotas raciais. Na ocasião, Magnoli chegou a chamar o grupo que protestava contra seu livro de “milícia fascista”.

“A história se repete: O jornalista Demetrio Magnoli, declaradamente racista e que chama movimento negro de fascista, está mais uma vez na bancada da @GloboNews para falar sobre questões raciais. A Globo, do diretor que diz que ‘não somos racistas’ não se emenda nunca… #Racismo”, protestou um internauta em seu perfil no Twitter.

Continua após a publicidade

Olha quem tá ali no cantinho e vai falar sobre racismo…”, escreveu outro telespectador do programa fazendo referência a Demetrio Magnoli. “Ainda bem que a Globo trouxe negros para falar sobre racismo, né?”, disparou outro de forma irônica. “Já me perguntei pq Demétrio estaria ali e tals. Mas é isso: ele está ali exatamente pq ele é quem ele é e representa o que ele representa”, considerou outro internauta.

Thiago Amparo, advogado e professor de direito que também atua como comentarista em questões raciais em canais de notícias, também desabafou sobre o fato: “Não aguento mais negros/as só serem chamados ou pra comentarem sobre racismo na TV (quando são), ou para serem como pôster de diversidade, enquanto os comentaristas que de fato recebem salário estão lá e não sairão de lá. Cansei. Me chamam e eu digo: não é como igual? Digo não”.

E essa não é a primeira vez que a Rede Globo é detonada nas redes sociais pela falta de diversidade. Em junho de 2020, o mesmo programa jornalístico, o “GloboNews Em Pauta”, foi alvo de críticas ao tratar sobre o caso de George Floyd, negro morto asfixiado por um policial no Estados Unidos, colocando um time de jornalistas brancos para discutir o assunto.

Após uma enxurrada de críticas, o canal de notícias da Globo promoveu na edição seguinte do “GloboNews Em Pauta” uma edição inteira comandada por jornalistas negros. Flavia Oliveira, Zileide Silva, Aline Midlej, Lilian Ribeiro e Maria Júlia Coutinho, participaram do programa que foi apresentado naquela noite por Heraldo Pereira. A Globo aproveitou a ocasião para anunciar que Flavia Oliveira e Zileide Silva ficariam como comentaristas fixas da atração jornalística da GloboNews.