Fechar
Aumento salarial

Greve na RedeTV! tem presença da polícia e faixas

Emissora se posicionou sobre a greve de funcionários que se iniciou na madrugada

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

Funcionários da RedeTV! iniciaram na madrugada desta terça-feira (31) uma greve e reivindicam aumento salarial. O movimento começou à 0h e reuniu funcionários na porta da sede da emissora, localizada em Osasco, na Grande São Paulo. Seis viaturas da PM (Polícia Militar) acompanharam de perto os protestos.

Organizada por contratados da emissora e pelo Sindicato dos trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo, a greve começou pontualmente no horário previsto e contou com faixas na entrada da emissora. A movimentação na recepção da empresa foi intensa durante toda a madrugada.

Funcionários da RedeTV! cobram um aumento salarial correspondente a 18,72% já aprovado em 2018 por empresas do mesmo segmento. A emissora foi a única que não reajustou os pagamentos e, de acordo o Sindicato, os trabalhadores não recebem uma reajuste há quatro anos. Após pressão, o canal ofereceu apenas 3,8%.

O Sindicato dos trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo declarou ao EM OFF que a greve vai continuar por tempo indeterminado. Além disso, a entidade reforça que a RedeTV! não apresentou formalmente uma nova proposta sobre as reivindicações das categorias.

Continua após a publicidade

“A greve iniciou-se hoje às 0h00 por tempo indeterminado. Diretores da entidade sindical e os trabalhadores estão mobilizados na porta da empresa. Até o momento, não obtivemos resposta em relação a pauta de reivindicação protocolada na empresa”, afirmou o Sindicato em nota à reportagem.

A RedeTV! também se pronunciou oficialmente sobre a greve dos funcionários da emissora. O canal condena a movimentação dos contratados e se defende afirmando que todos os salários estão sendo pagos em dia mesmo diante do cenário de crise provocado pela pandemia da Covid-19 no Brasil.

“A RedeTV! lamenta que o Sindicato tenha realizado assembleia na qual não estava presente a maioria de seus milhares de colaboradores para decretar o estado de greve. Isso prejudica o trabalho dos demais colaboradores que não concordam ou apoiam tal movimento”, iniciou o canal em nota enviada à reportagem.

“A argumentação apresentada pelo Sindicato é totalmente desvinculada da realidade, sabendo que o setor de comunicação foi um dos mais gravemente afetados pela pandemia COVID-19 e que a RedeTV!, ao contrário de outras empresas do meio que notoriamente praticaram grandes cortes de folha de pagamento durante o período, não o fez”, afirmou.

A RedeTV! também confirmou que suas atividades terão continuidade com os funcionários que optaram por não aderir à greve contra a emissora. “A RedeTV! seguirá desempenhando as suas funções com os colaboradores que refutam tal movimento”, disse a direção da emissora de Marcelo de Carvalho e Amilcare Dallevo Jr.

Tags Relacionadas: