Fechar
ao vivo

Guarda de trânsito pede coçadinha de amigo em jornal da Globo

Rede Amazônica flagrou dois guardas de trânsito em momento inusitado

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

O “Jornal do Amazonas – 2ª Edição”, exibido pela Rede Amazônica, afiliada à Globo no Amazonas, flagrou um momento curioso no encerramento do telejornal nesta sexta-feira (15). Um guarda de trânsito solicitou ao colega de trabalho que o ajudasse com uma coçadinha em uma parte inalcançável das costas, enquanto a câmera aberta pela emissora mostrava o movimento de uma avenida.

Nas imagens é possível observar um dos profissionais se aproximando do outro no limite de uma barreira criada para monitorar os carros. Em seguida, ele aparentemente pede para o colega coçar o meio das costas. Não é possível ouvir áudio da conversa devido o instrumental do encerramento do noticiário local. No entanto, antes que a logo da emissora enchesse a tela, o outro atende ao pedido e começa a ajudar o parceiro de trabalho.

Nas redes sociais, o momento não passou despercebido do público. Piadas como “tenha um amigo como esse guarda de trânsito” e “mais que amigos, friends”, foram algumas feitas pelo público. A emissora não mencionou quem são os protagonistas do flagra inesperado ao vivo. O momento incomum não é o primeiro fora do comum já registrado por afiliadas da Globo.

Recentemente, o “Bom Dia Pará”, telejornal matinal exibido pela TV Liberal Belém, afiliada à Globo na Grande Belém e áreas próximas, entrou para um dos momentos emblemáticos do jornalismo brasileiro. Isso porque a emissora resolveu repaginar o instrumental de encerramento da edição com um remix criado pelo âncora Márcio Lins ao vivo. A jornalista Thayse Assis foi a responsável por apresentar a novidade ao público.

Continua após a publicidade

“A gente tem o nosso DJ particular aqui no estúdio, que privilégio. Parabéns Márcio, é muito bacana uma profissão a mais”, comentou a apresentadora do noticiário local antes de pedir para que o colega apresentasse o encerramento da edição por volta das 8h37 (horário de Brasília). Ele então explicou que andou estudando música no período de crise sanitária no Brasil, o que lhe permitiu a ser DJ nas horas vagas.

“É um prazer fazer parte desse mundo porque é alegria, é festa. A gente aqui traz notícias ruins, informa, o que é importante, mas também tem o lado do entretenimento”, explicou o âncora, que em seguida apresentou o instrumental criado para encerrar o “Bom Dia Pará”. O jornalista da Globo também aproveitou o momento de estrela para fazer sua propaganda de DJ durante o telejornal ao vivo.