Fechar
IBOPE

Jornal da Globo entra em crise e audiência tem recorde negativo

Assim como o Jornal Nacional, noticioso comandado por Renata Lo Prete tem amargado índices cada vez piores

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

Comandado pela jornalista Renata Lo Prete, o Jornal da Globo se junta à outras atrações da Rede Globo, como a novela Quanto Mais Vida, Melhor, o Zig Zag Arena e o Jornal Nacional, na crise de audiência que a emissora carioca tem vivido. O noticioso vai encerrar o ano de 2021 com um recorde negativo: a pior média anual no ibope em toda a sua história.

De acordo com dados do portal Notícias da TV, o Jornal da Globo alcançou, de janeiro até o dia 14 de dezembro, média de 7,1 pontos no PNT (Painel Nacional de Televisão), que mostra o desempenho das emissoras nas 15 principais regiões metropolitanas do país. Além disso, o noticioso marcou 27,0% de share, que é a porcentagem de televisores que sintonizaram no programa.

Esses são os piores índices já obtidos pelo Jornal da Globo desde a sua estreia, em março de 1967. A atração apresentada por Renata Lo Prete viu sua relevância começar a diminuir em 2017, quando fechou com 9,3 pontos de média. Desde então, o Jornal da Globo tem perdido audiência no mercado nacional. Em 2018, o ibope médio caiu para 8,5 pontos. Já em 2019, foi de 8,3. Em 202, encerrou o ano com 7,7 pontos.

Um dos motivos que pode explicar essa queda é a baixa audiência alcançada por atrações anteriores da grade da Globo, como as novelas. Além disso, ainda de acordo com o Notícias da TV, o número de televisores ligados na faixa de horário do Jornal da Globo também caiu: apenas 26% das TVs de todo o Brasil estavam ligadas no horário reservado ao noticioso.

Continua após a publicidade

Crise no JN

Outro importante telejornal da Rede Globo também tem registrado recorde negativo na audiência. De acordo com o colunista Ricardo Feltrin, do portal UOL, o Jornal Nacional deve encerrar o ano de 2021 com sua pior média de audiência desde o início desse século. De acordo com o jornalista, a atração comandada por William Bonner e Renata Vasconcellos deve terminar o ano na casa dos 24,4 pontos de média no PNT e 37,7% de share.

Os dados são ainda piores se comparados aos anos anteriores. Em 2004, por exemplo, o Jornal Nacional marcou média de 41,4 pontos na audiência, com 63,3% de share – a cada 10 televisores, seis estavam sintonizados no jornalístico. Essa foi sua melhor marca desde a virada do século. Assim, em 20 anos, a atração perdeu 41% dos televisores ligados em todo o território nacional.

Se em 2004 o Jornal Nacional viveu seu melhor momento na audiência, a Globo começou a se preocupar a partir de 2013. Nesse ano, a atração jornalística fechou a média anual abaixo dos 30 pontos pela primeira vez (28,4 pontos e 48,7% de share). 2015 foi o segundo pior ano para o JN, atrás apenas de 2021: 24,7 de média e 39,7% de share.

De mal a pior

A novela “Quanto Mais Vida, Melhor”, que estreou no dia 22 de novembro no horário das 19h, também tem ido mal no ibope e registrou recorde negativo na audiência. De acordo com a colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, a novela criada por Mauro Wilson e protagonizada por Giovanna Antonelli, Vladimir Brichta, Mateus Solano e Valentina Herszage, tem obtido média de 20,3 pontos no ibope na Grande São Paulo, principal praça para aferição da audiência.

Esse é o pior resultado de uma novela das 19h desde “Além do Horizonte” (2013), que teve 19,5. A novela já tinha mostrado que poderia enfrentar problemas na audiência logo na estreia. No seu primeiro capítulo, “Quanto Mais Vida, Melhor” amargou a pior estreia de uma novela das sete da história da Globo, de acordo com o portal Metrópoles. O folhetim registrou 21,6 pontos em São Paulo com 35% de participação.