Fechar
Política

José Luiz Datena deixa a Band e abandona ‘Brasil Urgente’

Apresentador vai ser substituído na TV; emissora ainda não definiu quem ocupará o posto

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

José Luiz Datena está de saída da Band. O apresentador do “Brasil Urgente” anunciou que aceitou convite para concorrer ao Senado em São Paulo na chapa do vice-governador do estado, Rodrigo Garcia (PSDB). A emissora dos Saad ainda não escalou um substituto para comandar o policialesco na grade vespertina. Joel Datena, filho do comunicador, é o mais cotado para o posto.

Datena vai sair candidato ao Senado Federal pelo União Brasil, partido que nasceu através da junção do DEM com o PSL, o mesmo em que Jair Bolsonaro se elegeu presidente da República. O apresentador já era filiado do último grupo e havia demonstrado interesse em deixar a TV para seguir carreira política desde dezembro do ano passado, quando passou a ser sondado para concorrer as eleições 2022.

Apesar de já ter confirmado saída da Band, o comunicador vai seguir no comando do “Brasil Urgente” até meados de 30 de junho, quando terá que de fato abandonar a TV para poder se dedicar a política e não se chocar com o código interno do canal. De acordo com documento, a empresa de comunicação proíbe que seus contratados tenham qualquer relação com partidos políticos e candidatos a cargos públicos nas eleições.

A partir desta terça-feira (15) o jornalista deve adotar uma nova postura em relação a pautas políticas. Cobranças a prefeituras, principalmente a políticos ligados a seu novo partido, deverão deixar o policialesco. A ideia é não se chocar com os concorrentes, além de não se indispor com colegas que concorrerão a cargos pela mesma união.

Continua após a publicidade

Antes de optar ir para o União Brasil, José Luiz Datena recusou convites de Jair Bolsonaro (PL), além de Gilberto Kassab, Tarcísio de Freitas e Ciro Gomes. Os cargos oferecidos ao comunicador não necessariamente era para concorrer ao Senado de São Paulo.

“Recebi vários convites, fiquei lisonjeado com todos eles. Sou um crítico do governo Bolsonaro, e o Tarcísio me convidou para ser senador. Sou crítico do governo Doria, e o Rodrigo me convidou também. Se as pessoas que eu critico me convidaram, é porque estou fazendo algo certo, estou do lado do povo”, declarou o jornalista em entrevista à coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Tags Relacionadas: