Fechar
DOR DE CABEÇA

Lula e Bolsonaro desdenham da Globo e emissora lamenta ausência de candidatos

Os dois políticos mais bem colocados nas pesquisas eleitorais ainda não confirmaram presença em entrevistas

Bruno PintoRepórter do EM OFF

Com a aproximação das eleições, a Rede Globo está se movimentando para conseguir fazer a cobertura completa de uma disputas mais acirradas dos últimos anos. Para começar os trabalhos, a emissora dos Marinho iniciou uma série de entrevistas para o G1, portal de notícias da Globo, com os pré-candidatos à presidência. Entretanto, nem tudo está saindo conforme planejado e o Grupo Globo está encontrando muitas dificuldades para fechar algumas entrevistas.

Isso porque, Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Messias Bolsonaro, os dois principais candidatos e líderes nas pesquisas, estão fazendo jogo duro com a emissora carioca e ainda não confirmaram suas participações. Inquieta, a direção da Globo fez questão de expor a atitude dos políticos em rede nacional e ressaltou a importância da presença de ambos, tendo em vista o interesse do eleitor.

Durante o “Jornal Hoje”, transmitido na tarde desta segunda-feira (20), Renata Lo Prete, que comanda as entrevistas, foi chamada ao vivo por Allan Severiano e, diretamente do local onde aguardava a pré-candidata Simone Tebet, do MDB, revelou a dificuldade que estão encontrando para conseguir convencer os líderes a participarem do bate-papo em formato de podcast.

“Nós convidamos os cinco candidatos que melhor pontuam na pesquisa Datafolha mais recente. Lula e Bolsonaro não confirmaram presença nas entrevistas, então nós decidimos entrevistar a Senadora Simone Tebete, lembrando que eu já entrevistei o pré-candidato Ciro Gomes na semana passada, e, no dia 11 de julho estarei entrevistando o André Janones, do Avante”, iniciou Lo prete.

Continua após a publicidade

Na sequência, a jornalista destacou a importância da participação dos pré-candidatos, tanto para eles quanto para os eleitores: “Essas entrevistas oferecem uma oportunidade rara pra gente, seja em vídeo ou em áudio. São entrevistas longas, com 1h30 de duração, e nesse período de tempo será possível questionar os candidatos sobre suas trajetórias na política, sobre ideias e propostas para dirigir o país. Tudo para diminuir as dúvidas do eleitor”, concluiu Renata, que teve sua fala complementada por Allan Severiano: “É democracia! É também muito importante se informar para poder escolher”.