Fechar
PAÍS QUE MAIS MATA PESSOAS TRANS NO MUNDO

Lulu Santos se revolta no ‘Faustão na Band’ e faz protesto ao vivo

Ao ser indagado, o cantor não perdeu a oportunidade de falar sobre as vidas perdidas diariamente por conta da homofobia

Bruno PintoRepórter do EM OFF

Lulu Santos foi um dos convidados do programa “Faustão na Band”. Além de soltar a voz no palco da atração diária, o cantor bateu um papo com Fausto Silva sobre o seu casamento com Clebson Teixeira, que descreve como o melhor momento de sua vida, e aproveitou para falar de um assunto muito sério e que vem ceifando a vida de muitas de pessoas diariamente.

Na noite desta segunda-feira (28), Lulu não deixou a boa oportunidade passar para falar sobre o lado contrário da boa aceitação de sua união homoafetiva, algo que muita gente ainda sofre muito para conquistar. Durante participação na atração comandada por Fausto Silva, o cantor não pensou duas vezes antes levantar uma triste informação na tentativa de mostrar para os telespectadores as consequências causadas pela homofobia.

O assunto foi iniciado por Anne Lottermann, que indagou o cantor sobre a sua alegria por estar junto da pessoa que ama: “Lulu, a gente está vendo aí ao seu lado a foto sua com o Clebson, o seu marido. Esse é o momento mais feliz de sua vida?”. Na sequência, Lulu não perdeu tempo e logo respondeu que sim: “Certamente. Há uma grande diferença entre você querer e você ser querido”.

Na sequência, foi a vez de Fausto Silva comentar a forma como o cantor conseguiu expor e lidar com sua sexualidade, mesmo sendo uma figura pública, ou seja, muito mais propensa a receber ataques de pessoas preconceituosas: “Você foi muito respeitado na sua opção, porque você essa situação em um país cheio de preconceito e hipocrisia, mas no seu caso não, pois você tirou isso de letra“.

Continua após a publicidade

Lulu ressaltou que as coisas não foram tão simples quanto parece não. O cantor disse ao apresentador da Band, que tal facilidade se deu na medida em que as pessoas foram evoluindo seus pensamentos a respeito do amor: “Eu tirei de letra [entre aspas]. Na verdade, a grande maioria da pessoas está mais que pronta para reconhecer o amor, seja ele da forma que for. Com relação ao outro lado, o que importa?”.

O cantor fez questão de dizer que, embora algumas pessoas têm a sorte de não sofrer por ser quem realmente é, outras acabam se tornando mais um número na estatística: “Eu não poderia deixar de dizer que, ainda que eu tenha sido bem recebido na colocação pública da minha vida, da minha forma de amor e de Clebson por mim, a gente tá num país que mais mata pessoas trans no mundo. Este é o Brasil que eu não queria que estivesse em primeiro lugar”.

Logo em seguida, Faustão completou a fala de Lulu: “O país da violência doméstica contra a mulher, contra a criança, contra velhos, contra índios… Esse é o país da intolerância”. Por fim, o cantor levantou outro dado que deixa o Brasil em uma posição nada animadora: “E o da arma também, pois é o sexto no mundo em assassinatos também. A gente tem tanto amor, a gente é o povo do amor e o amor triunfará”.

Confira!