Fechar
DE VOLTA?

Michelle Barros conversa com ‘chefão’ de emissora e pode retornar à televisão

Ex-jornalista da TV Globo conversou com Rodolfo Schneider, da Band, sobre possível retorno À TV em breve

Danilo ReenlsoberRepórter do EM OFF

A jornalista Michelle Barros, de 42 anos, pegou muita gente de surpresa ao anunciar, no começo do mês, sua saída da TV Globo, depois de 12 anos de trabalho na emissora. No dia 12 de maio, ela fez um longo desabafo no seu perfil no Instagram, falou em “ciclos fechados” e que pretende se dedicar às redes sociais. A profissional, no entanto, pode voltar à televisão em breve.

De acordo com o colunista Flávio Ricco, do portal R7, Michelle Barros teve uma conversa proveitosa com a direção de jornalismo da Band, mais especificamente com Rodolfo Schneider, o diretor executivo nacional de jornalismo da emissora paulista. Ainda segundo Ricco, a conversa tratou sobre o futuro tanto da profissional quanto do canal. Nada ficou acertado para tão já, mas as portas estão abertas.

Desde que deixou a TV Globo, Michelle Barros iniciou uma “peregrinação” por outros canais de TV. Na Band, participou do programa de Fausto Silva e recebeu uma homenagem do filho, Arthur, e de amigos de profissão, como Chico Pinheiro. Logo em seguida, compareceu à sede da Record TV, também em São Paulo, onde gravou uma participação no “Programa de Todos os Programas”, apresentado por Flávio Ricco e Dani Bavoso.

Ainda segundo Ricco, a comunicadora estaria interessada em trocar as bancadas de telejornais pelo entretenimento. “Já havia um tempo que percebi que estava chegando a uma posição que não teria muito mais para onde ir”, disse em entrevista ao UOL. De acordo com pessoas ligadas a ex-colega de trabalho de Rodrigo Bocardi, Michelle Barros já está se mexendo nos bastidores para definir seu retorno à televisão.

Continua após a publicidade

‘Sabotada’

Logo após o anúncio da saída de Michelle Barros da Globo, o EM OFF apurou com exclusividade que a jornalista se sentiu sabotada dentro da emissora, já que esperava ser promovida ao comando fixo de algum telejornal do canal. Nos corredores da TV Globo, corre a informação que após a ida de César Tralli para o Jornal Hoje, era esperado que a jornalista assumisse o SP1, o que não aconteceu. No lugar dela, a direção da emissora escalou Alan Severiano.

Em seguida, com a saída de Carlos Tramontina do SP2 e também da Globo, se especulou que Michelle Barros pudesse assumir o telejornal. Novamente, o canal preferiu um homem para a bancada, neste caso, José Roberto Burnier. A jornalista, que há anos buscava um espaço de mais destaque na emissora, teria ficado arrasada e isso teria ajudado na decisão de deixar a empresa.

Não se fala abertamente em machismo nos bastidores da Globo, mas o clima na redação não é dos melhores. Fontes ouvidas apontam que não apenas Michelle Barros, mas outros nomes femininos, como Glória Vanique, que deixou a emissora em 2020 e acertou com a CNN Brasil, também buscaram mais espaço nas bancadas dos telejornais, sem sucesso.

Desabafo

Michelle Barros publicou um longo desabafo no seu perfil no Instagram. “Por quase 12 anos percorri os quatro cantos de São Paulo, conheci seus extremos, sua miséria e seu luxo. Relatei, na Globo, os percalços e as belezas da cidade que abraçou essa alagoana. A rua me deu casca, talento para improvisar, habilidade em passar de um tema para outro rapidamente, deu-me sensibilidade, empatia, ajudou-me a amadurecer”, disse.

“Faz tempo já que sinto que fechei um ciclo. E nunca tive medo de me lançar completamente no que acredito. Aos 42 anos, 22 deles no jornalismo, decidi que vou me abrir para isso: novos formatos, novas histórias, novas perspectivas. Estou mergulhando no desconhecido, escancarando as portas, com borboletas na barriga e uma vontade imensa de aprender”, reforçou.

Em sua mensagem de despedida, a própria Michelle Barros falou do seu desejo se assumir a bancada de um telejornal da TV Globo. “Eu sabia o que queria. Há 7 anos passei a substituir os apresentadores nos telejornais de São Paulo. Estive em todas as bancadas de Sampa. Aprendi com um time de primeira, inspirei-me, evolui!”, disse. “E eu sempre vou poder dizer: ‘Eu tentei!'”, ressaltou.

No seu relato, a jornalista se disse aberta ao que vier. “Vou me dedicar às redes sociais, falar de comunicação com vocês por lá, pelo YouTube, pelo Instagram, vou fazer eventos, encontros, jornadas… Vou concluir a minha graduação em direito no fim do ano e devo incluir esse conteúdo – de direito autoral nas redes sociais e direito digital – nas nossas pautas na internet. Enfim, estou indo e espero que vocês estejam comigo seja lá onde eu estiver!”, encerrou.