Fechar
TV

Patrícia Abravanel pede respeito aos gays em campanha do SBT

Apresentadora polemizou em 2021 ao minimizar a homofobia

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

O SBT lançou uma campanha em favor da diversidade e de todas as formas de amor. Patrícia Abravanel, apresentadora da emissora, foi escalada para estrelar a ação que tem sido veiculada ao longo da programação do canal neste início de 2022. A comunicadora foi uma das personalidades que causaram polêmica ao emitir opinião controversa sobre pessoas da comunidade LGBTQIA+ no último ano.

Na campanha, o canal de Silvio Santos colocou funcionários anônimos e famosos para fazer um alerta sobre o fato de o Brasil ser o país que mais mata pessoas LGBTQIA+ em todo mundo. A herdeira da empresa abre a ação falando sobre a mensagem e pede respeito. Gabriel Cartolano, apresentador do “Vem Pra Cá” e “Fofocalizando”, também participa do ‘institucional.

“Há 15 anos o Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTQIA+ no mundo. E o que você, o que nós temos a ver com isso? LGBTFÓBIA é crime e a gente contribui com isso sempre que nos omitimos, quando propagamos discurso de ódio, quando ofendemos a luta de tantas pessoas, quando não respeitamos os direitos do outro. Sabendo dessa realidade, precisamos nos unir e buscar transformação. E ela começa em cada um de nós. A família SBT quer evoluir e aí você vem?”, diz a mensagem.

Profissionais do RH, equipe de figurino, design, os atores Maria Gal e Otávio Martins, além dos apresentadores como Celso Portiolli e Eliana foram responsáveis por dizer trechos da mensagem. Na campanha, o SBT faz questão de frisar que quer evoluir em questões sobre a comunidade LGBTQIA+ e ressalta a criação de ações para ajudar no enfrentamento contra o preconceito.

Continua após a publicidade

Em junho do ano passado, mês do Orgulho LGBTQIA+, Patrícia Abravanel minimizou a homofobia ao comentar polêmica envolvendo Caio Castro e Rafa Kalimann sobre aceitar união de pessoas do mesmo sexo. Na ocasião, a apresentadora comandava o “Vem Pra Cá”, quando pediu compreensão com quem, segundo ela, “ainda está aprendendo”. A declaração causou revolta na comunidade.

“Eu acredito que nós, mais velhos, e nós que fomos educados por pais mais conservadores, a gente está aprendendo, a gente está se abrindo, mas eu acho que é um direito também das pessoas respeitarem. Por que não concordar em discordar?”, questionou. Ela disse que o ator e a influenciadora digital não são pessoas preconceituosas e atribuiu as opiniões polêmicas a uma “educação” diferente”.

“Então, assim como ‘LGDBTYH’, não sei, querem respeito, eu acredito que eles têm que ser mais compreensivos com aqueles que hoje ainda não entendem direito e estão se abrindo pra isso”, frisou ela. Por fim, Patrícia Abravanel afirmou ter dificuldade de educar os três filhos sobre o assunto e defendeu o diálogo como principal forma de combater o preconceito entre as minorias.

“É muito difícil educar filhos e falar assim ‘que que eu vou falar pro meu filho? Como falar?’ Porque a gente não sabe lidar. Tem que ter respeito e compreensão e não massacre e cancelamento. É assim que a gente vai chegar num mundo sem homofobia e sem tantas discussões e cancelamentos“, concluiu.