Fechar
Sem voz

Repórter gera climão ao vivo na CNN Brasil e apresentador intervém

Link direto dos Estados Unidos causou preocupação nos âncoras do “Live CNN”

Paulo Henrique LimaRepórter do EM OFF

Imprevistos em reportagens ao vivo são frequentes na TV. Nesta sexta-feira (4), Mariana Janjácomo foi chamada por Daniel Adjunto no “Live CNN” para falar sobre uma suposta ação planejada pela Rússia para invadir a Ucrânia. Enquanto passava as informações, a correspondente dos Estados Unidos ficou sem voz e teve que interromper o link feito de uma avenida movimentada.

De acordo com apuração da repórter, membros do serviço de inteligência dos EUA falaram sobre um vídeo falso lançado como acusação contra a Rússia e que mostra uma invasão ucraniana à pessoas que falam russo no leste da Ucrânia. “Esse vídeo mostraria cenas de ação, cenas de destruição, mostraria equipamentos militares como sendo da Ucrânia. É uma coisa que parece cena de filme”.

“Queria pontuar que essa é uma acusação dos Estados Unidos, eles não dizem de onde veio essa informação pra proteger as fontes e a Rússia nega essa acusação. Os agentes aqui dos EUA disseram que tornaram essa informação pública justamente para diminuir a credibilidade da Rússia e para não ter que depois que o vídeo já estiver circulando, dizer que se tratava de uma informação falsa”.

Janjácomo ressaltou que a troca de acusações entre os países lembra a Guerra Fria, período de disputas e conflitos armados entre as superpotências da época: Estados Unidos e União Soviética. “Pelo visto uma solução diplomática ainda está difícil”, comentou a correspondente internacional da CNN Brasil.

Continua após a publicidade

De volta ao estúdio do “Live CNN”, o âncora Daniel Adjunto quis saber detalhes de negociações para acabar com o embate entre os países. A correspondente deu detalhes sobre os esforços do presidente turco Recep Tayyip Erdoğan para evitar uma nova guerra e explicou uma das consequência caso não seja feito um acordo.

“Os esforços diplomáticos continuam, mas parece ser difícil porque cada vez mais países tentam intervir de alguma forma e as negociações parecem não andar. Ontem mesmo o presidente turco se ofereceu para sediar uma reunião entre a Rússia e a Ucrânia, ele disse que não quer ver os dois países brigando, mas que se a Rússia de fato invadir a Ucrânia ele vai ter que proteger os aliados”, contou.

Após a fala, a voz de Mariana começou a falhar inesperadamente. “Ele foi o líder mundial mais recente a oferecer ajuda e a tentar solucionar de alguma forma esse impasse, lembrando que os lideres ao longo…”, observou a correspondente, que logo em seguida começou a tossir descontroladamente. “Desculpa, tive um problema com a minha voz aqui”, tentou explicar. Do estúdio, Daniel tentou tranquilizar a colega de trabalho. “Calma, está tudo bem, bebe uma água e respira”.

A âncora Marcela Rahal não se segurou com o imprevisto da correspondente e riu. “Isso acontece, acontece várias vezes comigo aqui e a Marcela me salva”, amenizou Adjunto. “Perdão, eu não sei o que aconteceu e a temperatura aqui caiu muito desde manhã e acho que acabou afetando a minha voz. Vamos seguir acompanhando, vou tomar uma água pra poder continuar passando as informações”.