NO ENCONTRO

Roberta Miranda se revolta e pede prisão perpétua para médico equatoriano

"A mulher virou um parquinho de diversão nas mãos de alguns canalhas", lamentou a cantora no "Encontro"

Danilo Reenlsober
Repórter do EM OFF

A cantora sertaneja Roberta Miranda participou do “Encontro” na manhã desta quarta-feira (20) e desabafou sobre o caso do cirurgião plástico equatoriano Bolívar Guerrero Silva, acusado de manter Daian Chaves Cavalcanti, de 36 anos, em cárcere privado dentro de um quarto de hospital. A artista lamentou o ocorrido e disse que o Brasil deveria ter prisão perpétua para casos como esse.

O programa matinal comandado por Patrícia Poeta e Manoel Soares repercutiu a manutenção da prisão temporaria do médico, que já responde por outros 20 processos. Durante a audiência de custódia realizada nesta terça-feira (19), presidida pela juíza Daniele Lima Pires Barbosa, a defesa de Bolivar pediu a revogação da prisão, mas a magistrada optou pela manutenção da medida cautelar.

No palco do programa, Roberta Miranda se mostrou revoltada com o caso. “Espero que agora as leis se cumpram de uma forma… Que não pode deixar [livre] um… Não sei nem se é ser humano, mas um tipo de gente tão má, que faz tantas coisas ruins pras pessoas. Por mim, pode ficar ad eternum na cadeia. É o que ele merece, ele e outras pessoas também”, comentou.

A cantora sertaneja ainda falou sobre as leis aplicadas no País e disse que elas são muito brandas. “Nossa lei tem que mudar totalmente, é muito branda. É por isso que eu digo, sabe Patrícia, que a mulher virou um parquinho de diversão nas mãos de alguns canalhas, e esses canalhas mereciam prisão perpétua. Brasil não tem, fazer o quê, então dá o máximo”, complementou a artista.

Bolivar foi preso na última segunda-feira (18), quando estava dentro do centro cirúrgico do Hospital Santa Branca, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo a polícia, a vítima teve complicações depois de uma cirurgia de abdominoplastia e está em estado grave. Daian tentou ser transferida de hospital, mas o cirurgião dificultou a transferência. Ela está internada desde junho desse ano.