Fechar
DEMISSÃO EM MASSA

Salários de jornalistas da Globo ‘vazam’ após demissões

Em meio a diversos desligamentos, valores recebidos mensalmente por profissionais de peso no jornalismo foram descobertos

Bruno PintoRepórter do EM OFF

Se tem uma palavra que pode definir fielmente o atual cenário vivido pela Rede Globo, é mudança. Se não bastasse as diversas alterações na programação , além da dança das cadeiras promovidas em seu time de apresentadores, que vai do entretenimento ao jornalismo, a emissora dos Marinho está deixando seus funcionários muito preocupados em decorrência da série de demissões que estão ocorrendo.

Não é de hoje que a Globo vem tomando atitudes severas com seus colaboradores. Sem qualquer aviso, a emissora carioca já desligou inúmeros funcionários e pretende continuar fazendo isso até que diversos fatores estejam condizentes com sua nova realidade. A situação está tão complicada, que até mesmo profissionais com décadas de casa estão tendo o mesmo destino dos demais.

Recentemente, o setor do jornalismo foi o mais afetado pela onda de demissões que está ocorrendo na Globo. Após nomes conhecidíssimos, como o de Ari Peixoto, surpreender o público com com anúncio da decisão, a emissora dos Marinho voltou a promover novos desligamentos de profissionais considerados verdadeiros medalhões, para que consiga concluir seus planejamentos.

Segundo informações divulgadas pelo portal Notícias da TV, o objetivo principal da emissora carioca é cortar custos, principalmente aqueles provenientes de salários. Sendo assim, a Globo ciou uma política de redução da folha salarial, o que justifica as demissões em massa e, sobretudo, daqueles profissionais que recebem valores mensais acima do teto estipulado pela emissora carioca.

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com o site, Francisco José e Renato Machado, jornalistas que possuíam mais de 40 anos de Tv Globo, recebiam salários que ultrapassavam os R$100 mil mensais. Mesmo com uma bagagem de peso, ambos já não produziam muitos conteúdos para o jornalismo da emissora e, somado ao salário, já considerado alto, acabaram ficando de fora dos novos padrões estabelecidos pela Globo.

Além de rejuvenescer seus repórteres, um outro fator se tornou muito mais vantajoso para a emissora dos Marinho: O financeiro. Tendo em vista os mais de R$100 mil que um repórter renomado pode ganhar por mês, a Globo paga aproximadamente 10% desse valor para um repórter em início de carreira. Sendo assim, a emissora consegue investir em uma quantidade maior de jornalistas para ocupar diversas editorias diferentes.

Para convencer os jornalistas mais antigos a dizerem adeus ao trabalho, a Rede Globo criou uma forma bastante atrativa para que eles aceitem o desligamento. Trata-se de um acordo amigável para todos aqueles profissionais que possuem mais de 20 anos de casa. Cada caso é analisado de forma distinta e, dependendo do colaborador, o valor do “agrado” cedido pela Globo pode passar de R$1 milhão.