Burst

Entenda o suposto caso de corrupção envolvendo sertanejos

Danilo Reenlsober 02/06/2022

O universo sertanejo foi virado de cabeça para baixo nas últimas semanas depois que pagamentos milionários de cachês de cantores se tornaram alvos de investigação.

Gusttavo Lima foi o principal afetado. Em poucos dias, três apresentações do cantor foram questionadas. Juntos, os cachês que ele receberia somam R$ 3 milhões.

Todo esse valor seria pago com dinheiro público. O Ministério Público entrou na jogada e já investiga shows do cantor nos estados de Minas Gerais, Roraima e Rio de Janeiro.

Mas, como tudo isso começou? Quais são os detalhes dessa polêmica? O que a cantora Anitta tem a ver com tudo isso? Veja os detalhes com o EM OFF:

Tudo começou depois que o cantor sertanejo Zé Neto fez uma crítica nas redes sociais contra Anitta, afrontando a famosa por conta de uma tatuagem íntima da funkeira.

Crítica

Ele também criticou a Lei Rouanet, importante mecanismo de fomento à cultura nacional. Internautas, então, decidiram expor valores pagos por órgãos públicos a sertanejos.

O movimento dos internautas revelou esquemas milionários envolvendo prefeituras de cidades pequenas ao redor do Brasil e diversos cantores sertanejos, como Gusttavo Lima.

Caixa-preta

Foram encontrados contrato milionários pagos diretamente pelas prefeituras a esses artistas. Em muitos casos, a verba deveria ser usada na saúde e educação, não em shows.

Os valores exorbitantes, muitas vezes acima de R$ 1 milhão e muito acima do valor de mercado chamou a atenção do Ministério Público, que resolveu entrar na jogada nos últimos dias.

Investigação

O MP do Rio de Janeiro abriu nesta segunda-feira um inquérito para apurar irregularidades na contratação de Gusttavo Lima em Magé (RJ), para um show no valor de R$ 800 mil.

O MP já havia anunciado investigações em apresentações de Gusttavo Lima em Minas Gerais, na cidade de Conceição do Mato Dentro, e Roraima, no município de São Luiz.

O cantor afirmou que "não pactua com ilegalidades" e que não é seu papel "fiscalizar as contas públicas". A prefeitura de Magé afirmou que não há nada de errado com a contratação.

Até mesmo o governo federal pode estar envolvido na treta. O BNDES liberou R$ 320 milhões ao fundo que administra a carreira de Gusttavo Lima e que comercializa seus shows.

Bolsonaro

O mesmo fundo que recebeu esse valor cuida de outros artistas, apoiadores de Bolsonaro, e que frequentemente fazem manifestações pró-governo em suas apresentações.